Júlio Pomar abre comemorações dos 20 anos de Património Mundial das gravuras do Côa |  | Rádio Ansiães

Júlio Pomar abre comemorações dos 20 anos de Património Mundial do Côa

"Incisão no Tempo – Obras do Acervo do Atelier-Museu Júlio Pomar" é a exposição inauguarda no sábado e que fica até agosto

"Incisão no Tempo – Obras do Acervo do Atelier-Museu Júlio Pomar" é a exposição que abriu, no sábado, as comemorações do 20º aniversário da classificação das gravuras do Côa como Património Mundial.

 

"Um diálogo entre a arte pré-histórica do vale do Côa e a arte contemporânea". O presidente da Fundação Côa-Parque, Bruno Navarro, resume assim a exposição que abre hoje, às 17:30 horas, no Museu do Côa:

 

 

Bruno Navarro assume que esta não é, de resto, a primeira vez que a Fundação Côa-Parque tenta ter obras do pintor naquele espaço museológico:

 

 

Júlio Pomar, de 92 anos, é um artista multifacetado que inclui a gravura contemporânea na sua vasta obra e há algumas características comuns com a arte paleolítica:

 

 

A exposição "Incisão no Tempo – Obras do Acervo do Atelier-Museu Júlio Pomar" fica patente até agosto.

 

De acordo com o presidente da Fundação Côa-Parque, a exposição de Júlio Pomar pretende atrair visitantes ao Museu do Côa e à região:

 

 

Para atrair mais gente também está a ser projetada a construção de um passadiço que ligue a área do museu à antiga estação ferroviária de Foz-Côa e ao rio Douro.

 

O projeto do Município foz-coense pretende que os milhares de turistas dos cruzeiros fluviais sejam persuadidos a visitar o Museu do Côa e depois desçam pelo passadiço. O presidente da Fundação Côa-Parque, Bruno Navarro, explica esta ideia:

 

 

Mas este futuro passadiço do Côa poderá não ter uma configuração normal:

 

 

Bruno Navarro anuncia ainda que, a partir de maio, também haverá visitas às gravuras através do rio Côa:

 

 

As fundações Côa-Parque, Museu do Douro e Serralves assinaram sábado um protocolo para criar um bilhete combinado para visitar os três espaços.

 

Bruno Navarro nota que é uma forma de também atrair mais pessoas à região do Alto Douro:

 

 

O bilhete combinado para visitar o Museu do Côa, o Museu do Douro e Serralves vai custar 17,60 euros.

 

A Côa Parque e a empresa Ramos Pinto, proprietária da Quinta da Ervamoira, assinaram um protocolo para que as pessoas percebam melhor os dois patrimónios mundiais que coexistem nesta região – as gravuras do Côa e o Alto Douro Vinhateiro:

 

 

Dia de protocolos, no sábado, no Museu do Côa e de abertura, também, da exposição "Incisão no Tempo – Obras do Acervo do Atelier-Museu Júlio Pomar", com a presença do ministro da Cultura, Luís Castro Mendes; da secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo; e da presidente da Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto da Assembleia da República, Edite Estrela.

 

Peça: Eduardo Pinto/Rádio Ansiães

Foto: Direitos Reservados

Júlio Pomar abre comemorações dos 20 anos de Património Mundial das gravuras do Côa |  | Rádio Ansiães